• doutorevoce

ODOR VAGINAL: O QUE TODA MULHER PRECISA SABER

Atualizado: Mai 2

Como saber quando o odor é um sinal de alerta

O DILEMA DO ODOR


As mulheres costumam me dizer que se lavam frequentemente porque estão preocupadas com o odor vaginal. Eu digo a elas que é normal ter algum odor. Também é normal que o odor vaginal mude de natureza e de intensidade ao longo do ciclo menstrual.

Algumas pacientes dizem que percebem mais odor depois de fazer uma mudança na sua dieta, como comer alho, atum ou começar a tomar suplementos alimentares. Assim que elas param de consumir estes alimentos ou outros produtos industrializados, o odor geralmente desaparece.

Lavar a área externa - a vulva - com sabonete antibacteriano pode diminuir o cheiro natural, mas também pode ressecar o tecido sensível da região, por isso aconselho as mulheres a tomar cuidado. A maioria dos médicos recomenda lavar apenas com água, especialmente se você estiver com ressecamento, coceira ou queimação no local. Caso for usar algum produto de higiene, escolha aqueles que sejam neutros e específicos para serem utilizados na região íntima – e, obviamente, que tenham sido aprovados pela ANVISA.

Muitas mulheres afirmam que a ducha vaginal faz com que se sintam mais limpas, eliminando o odor embaraçoso e as protegendo contra infecções. Mas elas podem estar se prejudicando ao longo do tempo com este procedimento.

Aconselho minhas pacientes a não fazerem duchas vaginais regularmente. A vagina é um órgão que tem um poderoso sistema para se manter em equilíbrio. Quando você tenta limpá-la usando uma ducha, eliminará alguns micróbios naturais e saudáveis para o ambiente vaginal, além de alterar temporariamente o pH (natureza ácida versus natureza básica da vagina). Em vez de fornecer proteção, isso criará um ambiente que facilitará o desenvolvimento de infecções.

Além disso, todas as formulações de ducha - exceto as variedades salinas puras - contêm ingredientes que podem desencadear alguma reação adversa ou alérgica.

O termo ducha, que significa " lavar " ou "tomar banho" em francês, refere-se à limpeza da vagina usando uma solução de água misturada com outro fluido - geralmente vinagre, bicarbonato de sódio ou algum tipo de perfume.

COMO SABER QUANDO UM ODOR REPRESENTA UM “SINAL DE ALERTA”


Alguns odores vaginais podem ocorrer devido a um problema de saúde. Se você sentir um cheiro persistente e desagradável, ou se algum odor for acompanhado por uma secreção espessa e/ou esverdeada, você poderá estar com uma infecção. Consulte seu médico para obter um diagnóstico e tratamento precisos. Além disso, procure imediatamente o seu médico se tiver dor, vermelhidão intensa ou feridas na sua área vaginal.


Odores vaginais associados a estes sintomas acima podem surgir devido a infecções graves como gonorreia, tricomoníase ou clamídia.


Todavia, mais comumente, a causa não é uma infecção.


Um desequilíbrio dos vários tipos de bactérias encontradas na vagina também pode causar desconforto e mal cheiro. Esse desequilíbrio é conhecido como vaginose bacteriana. Se você tiver esse problema, seu médico prescreverá um antibiótico, que ataca seletivamente apenas as bactérias anaeróbicas (bactérias que vivem sem oxigênio) e deixa intactas as bactérias saudáveis à região.

A vaginite por fungos é o que a maioria das pessoas chama de infecção por fungos, na verdade, ocorre por causa de um desequilíbrio bacteriano que permite que o fungo se desenvolva. O seu médico receitará um dos vários medicamentos para tratar o excesso de fungos e restabelecer o equilíbrio natural.

Raramente, o mau cheiro e o corrimento são causados ​​por um objeto estranho retido na vagina, como um tampão, preservativo ou papel higiênico.

Se você é jovem e ainda não começou a menstruar, mas já tem um odor vaginal mais forte, consulte um médico antes de tentar tratá-lo por conta própria.

Para aquelas mulheres na menopausa que apresentam odor vaginal, a falta de estrogênio pode ser a causa. Consulte seu médico para um diagnóstico preciso e para discutir as opções de tratamento.

EM RESUMO


Sua vagina tem um maravilhoso poder “autolimpante”, portanto evite usar ducha vaginal com frequência. Mantenha-se saudável e tenha uma higiene íntima adequada com produtos específicos para a região íntima. Consulte o seu médico anualmente, mas não deixe de procurá-lo, a qualquer momento, se tiver algum sintoma diferente.




REFERÊNCIAS:


1. American College of Obstetricians and Gynecologists. Disponível em: http://www.acog.org/

2. ROSS, Elisa. Feminine Odor Problems? What Every Woman Needs to Know. Cleveland Clinic Health Essentials, Cleveland, Mar, 2015. Disponível em: https://health.clevelandclinic.org/feminine-odor-problems-what-you-should-know-about-douching/

13 visualizações

©2020 por Doutor&Você. Orgulhosamente criado com Wix.com